sábado, 12 de julho de 2008

A JUVENTUDE CRISTÃ E A SEXUALIDADE

“Alegra-te, mancebo, na tua mocidade, e recreie-se o teu coração nos dias da tua mocidade, e anda pelos caminhos do teu coração, e pela vista dos teus olhos; sabe, porém, que por todas estas coisas te trará Deus a juízo Ec 11.9”

Inicialmente gostaria de expressar a minha gratidão ao Senhor, por poder trabalhar há vários anos com jovens e adolescentes e ter essa oportunidade de escrever especificamente à mocidade da Igreja sobre tão palpitante tema: Sexualidade. Vemos a necessidade de orientação bíblica com relação a um assunto tão importante na vida do jovem cristão, uma vez que a sociedade tem deturpado os valores morais ensinados nas Sagradas Escrituras, temos urgência em mostrar aos jovens que, “renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, justa e piamente. Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo”.

Deus criou o homem à sua imagem e semelhança, como um ser sexuado Gn 1.26,27, dotado de faculdades de raciocinar, de expressar suas emoções e agir voluntariamente. O Deus da Aliança, fez o homem para servi-lo nas realidades básicas do universo físico, e estruturou para ele uma ética sexual nas perspectivas universais e bíblicas. Infelizmente essa estrutura sexual sofreu os condicionamentos culturais de todas as épocas da história humana. Nesta geração os padrões de comportamento e moralidades sexuais mudaram muito e a promiscuidade tem aumentado de uma maneira assustadora.

O propósito desse estudo é contribuir com bases bíblicas sólidas para orientação dos nossos jovens e sobretudo, declarar ao mundo que existe um Deus Santo, que não tem prazer na morte do ímpio, mas quer que todos venham ao pleno conhecimento da verdade.

OLHAR SENSUAL É perigoso porque procura os prazeres dos sentidos, é voluptuoso, lascivo e lúbrico, e tem por objetivos os prazeres dos sentidos. Os olhos são símbolo da luz, da beleza ou inteligência interior de que precisamos para cumprir bem os deveres e não o sexo. Os olhos são considerados a vidraça, por onde todo o corpo é totalmente iluminado.

Mt 6.22,23 – Três grandes males do olhar sensual: Interesse, Desejo e Ambição.

É insaciável – Os 4.10,11

É perigoso – Pv.6.25

Consequências do Olhar Sensual de Davi – II Sm 12.7-14. Morte do filho do pecado V. 18, Morte de Amnon 13.28, Morte acidental de Absalão cap 18.14,15, O incesto de Amnon com Tamar 13.10-15, O incesto de Absalão com as concubinas de seu pai cap 16.21,22, Trono ameaçado, vergonha e até hoje falam do ato de Davi.

FORNICAÇÃO – É a relação sexual que se verifica entre pessoas não casadas. Num amplo sentido significa sexo tanto pré-conjugal, como extra-conjugal.

A Lei de Moisés reprovava com severidade a fornicação. O sedutor de uma virgem era condenado a desposá-la e também pagar uma multa Dt 22.13-30.

1 Co 6.9; Ef 5.5.

ONANISMO (masturbação) – A procura do prazer solitário ( a masturbação ) é considerada, por vezes, como uma coisa inocente, mas também há semelhança à prostituição Ef 5.12. São muitos os rapazes que se debatem com o tal problema e também moças escravizadas nessa prática. Isso é consequência da falta de libertação. É preciso muito Jejum e oração para que haja completa vitória. Para ler: Gl 5.24, Cl 3.5, Rm 8.13

PROSTITUIÇÃO – A prostituição é narrada na Bíblia desde o livro de Gênesis até Apocalipse. É também chamada “a mais antiga das profissões”. Gn 38.15; Jz 11.1. Não haverá rameira dentre as filhas de Israel...Dt 23.17; os pais eram advertidos a evitar a prostituição entre suas filhas Lv 19-29. Aos cristãos em Corinto, Paulo condena a prostituição por ser um pecado cometido contra o próprio corpo 1 co 6.15-20.

Exemplos em Israel

Tamar Prostituta clandestina Gn 38.12-30;

Raabe, prostituta estrangeira Js 2.1-24;

A prostituta de Gileade Jz.11.1;

A prostituta de Gaza Jz 16.1.

Encontramos Jesus repreendendo a Igreja de Pérgamo por aceitar a doutrina de Balaão, os ensinos de Balaque, as coisas sacrificadas aos ídolos e a prática da prostituição Ap 2.14.

INCESTO – Entre o comércio carnal está o incesto como o seu índice de culpa muito mais elevado, por se tratar de um ato sexual praticado entre pessoas intimamente aparentadas, como irmão e irmã, pai e filha, mãe e filho.

Sumário de Incesto na Bíblia e suas consequências

Naor desposou Milca, sua sobrinha Gn 11.29 Resultado tornou-se idólatra, devoto do deus falso de seu pai Tera Js 24.2.

As Filhas de Ló o embriagaram e com ele se deitaram Gn 19.30-35 (o reflexo da vida moral das cidades destruídas, Sodoma e Gomorra). Resultado: surgiram duas nações perigosas: os moabitas e os amonitas,

Esaú tomou por mulher Maalate, filha de seu tio Gn 28.9.

Rúbem deitou-se com Bila, concubina de seu pai Jacó Gn 35.22.

Tamar enganou seu sogro Judá e com ele praticou o incesto Gn 38.12-15.

Amnon um déspota cruel e sensual, deflorou Tamar sua irmã II Sm 13.10-14.

Um membro imoral da igreja de Corinto, possuiu a mulher de seu pai 1 Co 5.1-8.

ESTUPRO – É o ato de obrigar a mulher a sujeitar-se à relação sexual mediante violência ou grave ameaça. Entre muitas violências praticadas no mundo, o estupro é uma delas, porque é um atentado ao pudor.

Desequilíbrio Mental – Aqueles que praticam o estupro geralmente são indivíduos com pronunciado desequilíbrio mental, não são sadios psicologicamente. Acontece que o sexo não é só anatomia, sexo é psiquê, é espírito também, se bem que para o estuprador é só instinto sexual.

Sadismo – O estuprador físico, consciente, é um homem com seus 25 anos mais ou menos, é sádico, de hostilidade latente fora do comum contra as mulheres em geral. O típico nem é louco, nem agressivo, apenas comete certos desatinos, sexualmente anômalo, e promove escândalos organizando cenas de flagelação e tortura como o estupro.

Extrema Pobreza – A maioria dos estupradores vêm de classes economicamente desfavorecidas. O estilo de vida denota uma qualidade específica do modo de viver, mesmo portador de uma inteligência nata não tem condições de desenvolvê-la por lhe faltar os recursos financeiros.

A Lei de Deus sobre o estupro – Duas palavras que andam sempre juntas em alguns textos do Velho Testamento: a sedução e o estupro. A Bíblia contém exemplos tanto no caso de sedução como de estupro, dependendo das circunstâncias, no caso de uma mulher ser seduzida por um homem na cidade, ela devia gritar por socorro, caso não gritasse, seria de se supor estivesse compartilhando do ato ilícito, todavia, se o ato ocorresse no campo, onde ninguém poderia ouvir os gritos, somente o homem seria passível de pena capital, porque em parte havia praticado o estupro Dt 22.23-27. O primeiro estupro propriamente dito de que trata a Bíblia é o de Diná, filha de Jacó Gn 34.

BESTIALIDADE – A palavra bestialidade é, as vezes, empregada como sinônimo de Zoofilia, Zooerastia, Zooestupro e Zooantropia. Tem por definição: “Relações sexuais entre o ser humano e um animal inferior”. Sem dúvida nenhuma é o distúrbio do comportamento sexual em que o impulso erótico está dirigido para animais.

A condenação da Lei Judaica – A Bíblia prescreve punições para tais práticas em três livros do Pentateuco: Ex 22.19; Lv 18.23 e Dt 27.21, estas citações estipulam que a bestialidade deve ser rigorosamente punida com a morte da pessoa Lv 20.15,16.

ADULTÉRIO – Adultério, infidelidade, traição, “caso” ou affair são alguns termos comumente empregados para designar o envolvimento sexual entre uma pessoa casada e alguém que não é o seu cônjuge. O adultério é tão difundido quanto a própria instituição do casamento, esse comportamento tem sido desaprovado pela maioria das religiões e dos códigos jurídicos.

Adultério no Antigo Testamento – Na tradição das grandes religiões de origem judaica, como: judaísmo, cristianismo e islamismo, o adultério é um pecado grave, porque fere principalmente os direitos sagrados do cônjuge, a ordem de Deus era manter a energia do sexo dentro do casamento, para aumentar as possibilidades de uma prole numerosa, como convinha aos muitos interesses dos descendentes e da nação. O adultério além de interferir na estrutura e estabilidade da família, violava também o direito de propriedade, sobre o qual se apoiava a organização social das tribos hebréias. Há três sentidos para a palavra adultério no Antigo Testamento: 1 - em sentido restrito, que significa a violação da fidelidade conjugal, entre uma pessoa com outra do sexo oposto que não é o seu cônjuge. 2 – Em sentido geral significa toda impureza sexual por pensamentos, palavras ou pó atos. É este o sentido do sétimo mandamento Ex 20.14, que enfatiza a santidade, a pureza e o valor da vida em família e em núcleo social e religioso e 3 – figuradamente significa o culto prestado a deuses estranhos, ou outras violações de pacto com Jeová, pois Deus exige de nós amor incondicional, tanto quanto o marido exige de sua esposa pelos juramentos de fidelidade Jr 3.8,9 Os 2.2.

Era Explicitamente proibido Ex 20.14; Dt 5.18.

Era Rigorosamente Analisado Nm 5.11-13.

O culpado era castigado com a morte Lv 20.10; 24.14. Livra-te da mulher adúltera Pv 6.20-35.

Adultério no Novo Testamento – Ler Mt 12.30; 1 Co 6.8. Jesus repreendeu a geração de sua época por ser uma geração adúltera e perversa. Em Mt 5.27,28 está a advertência. Não adulterarás.

A BÊNÇÃO DA SEXUALIDADE

O SEXO, UMA BÊNÇÃO DE DEUS PARA O CASAMENTO – O estudo do sexo não é uma coisa nova, era tema de discussão entre pensadores antigos, como Aristóteles e Platão, filósofos gregos do século V antes de Cristo. No século II, depois de Cristo, Sorano e Galeno, ocuparam-se de aspectos médicos da sexualidade humana. O sexo é considerado como elemento fundamental na vida do homem. A sexualidade não serve apenas para reprodução, é uma expressão de alegria de viver. Infelizmente a concepção do homem moderno sobre sexo foi deturpada, enquanto no propósito de Deus, é uma bênção quando usado conforme ele criou.

A BÊNÇÃO DO MATRIMÔNIO – O versículo de Gn 2.24: “Deixará o homem o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á ‘a sua mulher, e serão ambos uma só carne”, mostra a vontade de Deus para o homem. Não foi Adão, mas sim Deus quem estimou que a solidão, a longo prazo, não seria boa para Adão. Este interesse de Deus por Adão foi de grande bênção para ele. Toda a iniciativa, toda a ação, foi da parte de Deus, e chagada a hora por Ele determinada, levou a Adão uma companheira. E hoje ainda, quem nele puser sua confiança, gozará de igual bênção.

SEXO NA CONCEPÇÃO DIVINA - Sexo segundo as Santas Escrituras, Gn 1.28, é força vital, porque é uma das manifestações da energia biológica da força vital, com instinto de conservação e potência essencialmente criadora em seus objetivos, porque sem ele desaparecerão da terra as formas mais organizadas de vida, humanas, plantas e animais.

Como dom de Deus a criação do sexo, destinado para a alegria dos homens, como obra prima de Deus no sexto dia, a sexualidade foi bem feita. Deus fechou com chave de ouro, toda obra da criação, inclusive o sexo, com a seguinte frase: “ ... Viu Deus que tudo era bom Gn 1.31”. Com o uso do sexo fora do casamento, a vida conjugal para muitos tornou-se fonte de amargura e sofrimento, esta realidade é constatada tanto na Bíblia, como na história do ser humano. Cada uso ilícito do sexo aumenta o número de delinqüentes, de marginais e seqüestradores. O homem fora de Deus só dá frutos maus. A leitura do Salmo 128 expressa a felicidade do homem que teme a Deus e é abençoado na sua família.

Que o Senhor da Glória continue abençoando os nossos jovens de maneira poderosa. E que se esforcem para servir a Deus, observando o que diz Paulo: “Que cada um de vós saiba possuir o seu vaso em santificação e honra 1 Ts 4.4”.

Fontes Consultadas:

A Bíblia Sagrada. Versão Revista e Corrigida. João Ferreira de Almeida.

A Bíblia e a Relação Sexual Fora do Casamento. Pr. José Belarmino do Monte.

Falando Francamente sobre Juventude, Casamento e Família à Luz da Bíblia. Jacob Graf.

3 comentários:

Jiba disse...

Boa noite Pr. Gildásio,

Estou pesquisando sobre juventude cristã e a sexualidade e encontrei seu blog, gostaria que se possível, o senhor pudesse comentar os seguintes tópicos: 1o. como se dava o casamento nas épocas descritas na Bíblia? Existia o conceito de namoro? Quais bases bíblicas para se explicar aos jovens contemporâneos, o papel da mulher no casamento e também o que dizer aos jovens a respeito do divórcio causado pela infelicidade sexual, para aqueles que se preservaram antes do casamento e agora casados descobriram que não têm prazer sexual com seu cônjuge? Qual o papel da igreja nesse contexto?
Agradeço sua atenção e aguardo seus comentários, Deus o abençoe em tudo. Shalom.

weverton-leo disse...

Pr. Gildásio, ao pesquisar, sobre a sexualidade no meio da juventude cristã, achei o seu blog, q foi de muita importancia para mim.
eu qria saber tambem se se algo relacionado ao namoro na biblia?
se tiver por favor mi auxilie pois estou precisando. desde ja te agradeço e te parabenizo pelo blog, por favor qlqr informação passe para meu e-mail weverton_leo@globo.com

Anderson disse...

Pr Gildásio,

encontrei o seu blog procurando artigos sobre a sexualidade entre jovens cristãos. Gostaria de uma ajuda. Sou líder de jovens em minha igreja e gostaria de saber do senhor se há alguma base para conduzir o namoro cristão segundo a bíblia e o que parece permitido quanto à carícias entre jovens ainda não casados. Esse é um assunto não muito discutido e necessário para admoestar os jovens sobre o que é permitido fazer e o que não é. Agradeço! A PAZ!